RETROSPECTIVA 2020:

RETROSPECTIVA 2020:

2020: O ANO QUE NÃO COMEÇOU

Janaina Sá Brito

                enfim, 2020 chegou ao fim, mas ficamos com a sensação de que ele nem começou, mesmo assim, ele nos rendeu acontecimentos estranhos, tristes, divertidos e esperançosos. Então, vamos fazer aqui uma breve retrospectiva deste ano tão atípico. No dia 3 de Janeiro, o general Iraniano Kassen Solemany, foi morto a mando do presidente dos Estados Unidos Donald Trump. Na mesma semana, o papa Francisco foi surpreendido dando um tapa na mão de uma fiel que foi cumprimentá-lo durante uma missa no Vaticano, mas parecia importuná-lo. Ainda em Janeiro, um novo vírus que contaminou a China em Dezembro, estava causando mortes em todo o país e começou a se espalhar pelo mundo, o COVID-19 ou novo coronavírus. Em Fevereiro, a atriz Alessandra Negrini foi cancelada porque estava desfilando fantasiada de índia em um bloco carnavalesco de São Paulo. No dia 25 de Fevereiro, surgiu a primeira contaminação por coronavírus no Brasil, o aumento de casos foi crescendo pelo mundo e no dia 16 de Março, foi decretada a pandemia de coronavírus, fechando comércios, Escolas, Universidades, parques e fazendo com que profissionais iniciassem o trabalho remoto, alunos de todos os níveis de ensino tiveram aulas online, hospitais lotaram, fazendo com que os profissionais da linha de frente no combate ao coronavírus, se virassem em mil para dar conta do recado.

                 Depois, houve uma grande guerra entre o presidente Jair Bolsonaro e o coronavírus, o presidente desdenhou da doença, chamando-a de gripezinha e receitando um remédio que prometia uma falsa imunização , junto com uma falsa cura, a hidróxiclorokina ou clorokina, um remédio que só era utilizado por pacientes portadores de malária para tratamento desta. Até o ministro da Ciência e Tecnologia Marcos Pontes, disse que o vermífogo Anita, curava o coronavírus. Surgiu então o movimento negacionista, que espalhava fake news sobre o coronavírus para todo mundo, através de vídeos e publicações, nas redes sociais. Muitos trabalhadores autônomos ficaram sem dinheiro , fazendo com que o governo pagasse mensalmente um auxílio emergencial, que gerou filas nas agências da Caixa e do Banco do Brasil. A cultura ficou parada, até os artistas tiveram que se reinventar, fazendo lives durante a pandemia, o compositor Aldir Blanc, morreu vítima da COVID-19 e seu nome acabou virando uma lei que pagava um auxílio emergencial do governo, para artistas fazerem seus projetos como lives e drive-ins em estacionamentos de teatros e cinemas. O esporte também paralisou, as olimpíadas de Tókio foram transferidas para 2021 e o futebol voltou sem torcida nos estádios. O Banco Central criou a estranhíssima e inacessível nota de R$ 200.00 Reais, com a figura do lobo Guará e muito se perguntavam se teriam acesso a nota, pois a maioria dos  estabelecimentos ainda trocava notas de R$ 100.00 Reais nos caixas. Até as produções de TV foram afetadas como novelas e séries. Os canais Netflix, Amazon e youtube, passaram séries e filmes que distraíram a galera nessa pandemia,  só que rolou um tráfego gigantesco de Internet, que fez as operadoras não darem conta e o sinal da rede cair todos os dias, pois todos ficaram em casa.

                 2020 também levou muita gente importante, muitos vítimas de sintomas de coronavírus, outros por outras doenças. Vou citar aqui alguns nomes: Aldir Blanc, Vanuza, Cecil Thirê, Moraes Moreira, Eddie Van Halen, Maradona, Renato Barros (vocalista da banda Renato e seus Blue Caps), Paulinho (vocalista do Roupa Nova), o jogador de basquete Kobbe Bryant, os radialistas Marne Barcelos, José Paulo De Andrade e Jimi Raw, o ator Tom Veiga( o louro José do programa ‘mais você’) e a atriz Nicete Bruno, são alguns desses nomes. Na política, Regina Duarte aceitou o cargo de secretária da Cultura, mas não deu certo e em seu lugar, entrou o ex-ator da novela teen ‘malhação’ Mário Frias. O ministro analfabeto da Educação Abrahan Weintraub foi demitido e em seu lugar, entrou o ministro Carlos Alberto Decotelli, que em seguida foi demitido após a descoberta de seu currículo fake e logo após, entrou o pastor presbiteriano Nilton Ribeiro, que chamou as faculdades de bordéis e quis acabar com a acessibilidade nas Escolas e Universidades, obrigando os PCD’s a voltarem a estudar só em Escolas especiais.

                                Em Abril, Sérgio Moro organizou uma coletiva de imprensa para anunciar sua demissão do ministério da Justiça e Segurança e abriu as caixas pretas do presidente Jair Bolsonaro, sobre sua interferência no comando da Polícia Federal. Também fomos surpreendidos pela prisão de Fabrício Queiroz em Atibaia e por duas demissões no ministério da Saúde, pela razão de que os médicos Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, não queriam receitar clorokina para a população Brasileira, como ordenou Jair Bolsonaro. Fomos obrigados a usar máscara, álcool gel e as palavras mais ouvidas neste ano foram: isolamento social, trabalho remoto, live, achatamento de curva e quarentena. Também nos horrorizamos com a morte do negro George Floyd, em um estacionamento de supermercado em Mineápolis, por policiais brancos, que provocou manifestações anti-racismo por todo o mundo. Em Porto Alegre, o mesmo aconteceu com João Alberto, que foi espancado e morto por seguranças no estacionamento do hipermercado carrefour. 2020, também foi um ano de chuvas torrenciais em Belo Horizonte, enchentes em São Paulo, Santos e Praia Grande, a água com gosto ruim no Rio De Janeiro, que fez a CEDAE colocar um produto que não eliminou o mau gosto e o mau cheiro, o impeachment do governador do RJ Wilson Witzel e a prisão do prefeito do Rio Marcelo Crivela. Joe Biden, venceu as eleições presidenciais Norte-Americanas, para a tristeza e fúria de Donald Trump, que tentou parar a apuração e pedir a recontagem dos votos. Para a nossa alegria, o craque Pelé completou 80 anos de idade e o craque Argentino Diego Armando Maradona, completou 60 anos, vivendo uma situação de saúde bem conturbada. Também não podemos deixar de citar o médico Volney Morastone, prefeito reeleito de Itajaí, em Santa Catarina, que defendeu a aplicação de ozônio no ânus para combater o coronavírus, essa foi a maior besteira do ano! Para encerrar essa retrospectiva, vamos falar do apagão no Amapá, das eleições Municipais fora de data e  das vacinas contra a COVID-19, que foram testadas e aprovadas no Brasil e no mundo e que começarão a ser distribuídas em 2021.

                 Desejo a todos que 2021 seja um ano de vacinas, esperanças e reencontros com aqueles que amamos, um dia isso tudo tem que acabar e temos que ser muito felizes. Um feliz 2021 à todos os meus queridos leitores! Vai passar!

Sugestões de pauta, comentários, elogios e críticas? Mande e-mails para: janaina.sabrito@gmail.com

Autor: ANTENADA

Janaina Sá Brito nasceu no dia 03 de Abril de 1974 em Paris e aos seis meses, mudou-se com a família para Porto Alegre. É Radialista, graduada em Letras-Português e pós-graduada em gestão de conteúdo da comunicação social-jornalismo. O objetivo de seu blog é informar sobre todos os assuntos do momento, de forma dinâmica, sempre fornecendo pautas e notícias atualizadas , para quem vive na correria, mas quer sempre se informar sobre tudo que está acontecendo no Brasil e no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: