POLÍTICA:

Sábado, 09 de outubro de 2021

Facebook

Instagram

Twitter

Youtube

Jornal O Sul

Porto Alegre

19°

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.

CADASTRE-SE AQUI

CORONAVÍRUS

NOTÍCIAS

OPINIÃO

ESPORTES

VARIEDADES

EDIÇÃO DE HOJE

REDE PAMPA

ANUNCIE

POLÍTICA

Eleições 2022: a menos de um ano para o pleito, conheça as novas regras

Por Redação O Sul | 9 de outubro de 2021

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA:

Mudanças envolvem da data da posse à distribuição de recursos.

Foto: Antonio Augusto/TSE

🔊 OUÇA ESSA NOTÍCIA CLICANDO AQUI

Falta pouco menos de um ano para as eleições de 2022 e os eleitores brasileiros irão às urnas com novas regras eleitorais. Promulgada pelo Congresso Nacional na semana passada, as regras serão aplicadas nas eleições para presidente e vice-presidente da República, de 27 governadores e vice-governadores de Estado e do Distrito Federal, de 27 senadores e de 513 deputados federais, além de deputados estaduais e distritais.

O pleito será realizado em primeiro turno no dia 2 de outubro e, o segundo turno, ocorrerá no dia 30 do mesmo mês.

Conheça as regras:

Recursos

Para incentivar candidaturas de mulheres e negros, a nova regra modifica contagem dos votos para efeito da distribuição dos recursos dos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022 a 2030. Serão contados em dobro os votos dados a candidatas mulheres ou a candidatos negros para a Câmara dos Deputados nas eleições realizadas durante esse período.

Fundo eleitoral

Em 2022, o Fundo Especial de Financiamento de Campanha – chamado de fundo eleitoral – terá R$ 5,7 bilhões. Esse é o valor previsto para o financiamento de campanhas políticas. Os recursos são divididos da seguinte forma:

2% dos recursos do fundo devem ser divididos entre todos os partidos, sendo o marco temporal a antecedência de seis meses da data do pleito.

35% dos recursos devem ser divididos entre os partidos na proporção do percentual de votos válidos obtidos pelas siglas que tenham pelo menos um representante na Câmara dos Deputados, tendo por base a última eleição geral. Nos casos de incorporação ou fusão de partidos, os votos dados para o partido incorporado ou para os que se fundirem devem ser computados para a sigla incorporadora ou para o novo partido.

48% dos recursos do fundo serão divididos entre os partidos na proporção do número de representantes na Câmara dos Deputados na última eleição geral. Pela regra, partidos que não alcançaram a cláusula de barreira, contam-se as vagas dos representantes eleitos, salvo os deputados que não tenham migrado para outra legenda.

15% dos recursos do fundo devem ser divididos entre os partidos, na proporção do número de representantes no Senado, contabilizados aos partidos para os quais os senadores foram eleitos.

Fundo Partidário

Já o Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos ou fundo partidário é destinado às siglas que tenham seu estatuto registrado no Tribunal Superior Eleitoral e prestação de contas regular perante a Justiça Eleitoral. Distribuído anualmente, o fundo partidário deve alcançar R$ 1,2 bilhão em 2022 e R$ 1,65 bilhão em 2023. A divisão é feita da seguinte forma:

5% do total do Fundo Partidário serão divididos, em partes iguais, a todos os partidos aptos que tenham seus estatutos registrados no Tribunal Superior Eleitoral;

95% do total do Fundo Partidário serão distribuídos a eles na proporção dos votos obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados.

Nova data de posse

A emenda à Constituição modifica o dia da posse do presidente da República para 5 de janeiro e dos governadores para 6 de janeiro a partir de 2027. Atualmente, presidente e os governadores tomam posse no dia 1º de janeiro. No caso da próxima eleição, em 2022, a data de posse em 2023 permanecerá no primeiro dia do ano.

Fidelidade partidária

As novas regras permitirão que parlamentares que ocupam cargos de deputado federal, estadual e distrital e de vereador possam deixar o partido pelo qual foram eleitos, sem perder o mandato, caso a legenda aceite.

O texto permite ainda que partidos que incorporem outras siglas não sejam responsabilizados pelas punições aplicadas aos órgãos partidários regionais e municipais incorporados e aos antigos dirigentes do partido incorporado, inclusive as relativas à prestação de contas.

Antes da mudança, a lei eleitoral permitia que parlamentares mantivessem o mandato apenas nos casos de “justa causa”, ou seja, mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário; grave discriminação política pessoal; e se o desligamento fosse 30 dias antes do prazo de filiação exigido em lei para disputar a eleição.

A incorporação de partidos também foi disciplinada pela emenda. Pelo texto, a sigla que incorporar outras legendas não será responsabilizada pelas sanções aplicadas aos órgãos partidários regionais e municipais e aos antigos dirigentes do partido incorporado, inclusive as relacionadas com prestação de contas.

Plebiscitos

A emenda constitucional incluiu a previsão para a realização de consultas populares sobre questões locais junto com as eleições municipais. Essas consultas terão que ser aprovadas pelas câmaras municipais e encaminhadas à Justiça Eleitoral em até 90 dias antes da data das eleições. Os candidatos não poderão se manifestar sobre essas questões durante a propaganda gratuita no rádio e na televisão.

Federações partidárias

Apesar de não fazer parte da Emenda Constitucional 111, outra mudança nas regras eleitorais terá validade no próximo pleito. Ao derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro, o Congresso Nacional validou o projeto que permite a reunião de dois ou mais partidos em uma federação.

A federação partidária possibilita aos partidos, entre outros pontos, se unirem para atuar como uma só legenda nas eleições e na legislatura, devendo permanecer assim por um período mínimo de quatro anos. As siglas que integram o grupo mantêm identidade e autonomia, mas quem for eleito devem respeitar a fidelidade ao estatuto da federação.

Outras modificações

A Câmara dos Deputados aprovou ainda outra proposta com a revisão de toda a legislação eleitoral. A modificação do novo código consolida, em um único texto, a legislação eleitoral e temas de resoluções do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A legislação eleitoral tem, ao todo, 898 artigos e reúne, entre outros pontos, a Lei das Eleições, a Lei dos Partidos Políticos, a Lei das Inelegibilidades e a Lei do Plebiscito.

Pelo texto aprovado na Câmara estabelece a quarentena de diversas carreiras. A proposta aprovada pelos deputados exige o desligamento de seu cargo, quatro anos antes do pleito, para juízes, membros do Ministério Público, policiais federais, rodoviários federais, policiais civis, guardas municipais, militares e policiais militares.

Entre as inovações da nova regra eleitoral está a autorização para candidaturas coletivas para os cargos de deputado e vereador. O partido deverá autorizar e regulamentar essa candidatura em seu estatuto ou por resolução do diretório nacional, mas a candidatura coletiva será representada formalmente por apenas uma pessoa.

No entanto, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), avaliou que não havia tempo hábil para analisar as propostas de alteração ao código eleitoral a tempo de vigorar para as eleições de 2022. De acordo com o Artigo 16 da Constituição Federal, “a lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência”. A matéria ainda aguarda votação no Senado e não terá vigor nas próximas eleições.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA:

 VOLTAR

TODAS DE POLÍTICA

NOTÍCIA ANTERIOR

propostas-de-legalizacao-dos-c…

Propostas de legalização dos cassinos no Brasil avançam após efeitos da pandemia na economia

PRÓXIMA NOTÍCIA

delta-causa-mais-sintomas-em-c…

Delta causa mais sintomas em crianças, mas não agrava casos de Covid, diz estudo

Deixe seu comentário

ck oaparams=2__bannerid=151__z…

ÚLTIMAS

delta-causa-mais-sintomas-em-c…

MUNDO

Delta causa mais sintomas em crianças, mas não agrava casos de Covid, diz estudo

propostas-de-legalizacao-dos-c…

ECONOMIA

Propostas de legalização dos cassinos no Brasil avançam após efeitos da pandemia na economia

exposicao-no-museu-julio-de-ca…

PORTO ALEGRE

Exposição no Museu Júlio de Castilhos, em Porto Alegre, resgata brinquedos que divertiam a criançada na década de 1960

mortes-de-gauchos-por-coronavi…

RIO GRANDE DO SUL

Prestes a completar 19 meses de pandemia, Rio Grande do Sul ultrapassa as 35 mil mortes por coronavírus

justica-mantem-ordem-para-cozi…

PORTO ALEGRE

Justiça mantém ordem para cozinha solidária desocupar prédio público em Porto Alegre

rio-grande-do-sul-e-o-estado-c…

RIO GRANDE DO SUL

Rio Grande do Sul é o Estado com maior índice de casos de racismo

governador-gaucho-visita-centr…

RIO GRANDE DO SUL

Na França, governador gaúcho visita centro de teste da Hyperloop, sistema de transporte de alta velocidade que analisa rota no RS

ministro-da-saude-compara-masc…

SAÚDE

Ministro da Saúde compara máscara a camisinha: “Diminui doenças, mas vou fazer lei pra obrigar o uso?”

estados-unidos-aceitarao-turis…

MUNDO

Estados Unidos aceitarão turistas com vacinas aprovadas pela OMS, inclusive a CoronaVac

balao-que-chega-a-30-mil-metro…

TECNOLOGIA

Balão que chega a 30 mil metros de altitude quer levar turistas até a estratosfera

Pode te interessar

POLÍTICA

Bolsonaro cita potássio da Amazônia como saída para falta de fertilizantes

POLÍTICA

Ministro da Economia, Paulo Guedes diz que sua offshore em paraíso fiscal é legal, declarada e nega conflito de interesse

POLÍTICA

Governo federal vai apresentar meta de desmatamento zero antes de 2030 durante a Conferência do Clima

POLÍTICA

Despejos por falta de aluguel estão suspensos até o fim do ano no Brasil

Jornal O Sul

Rua Orfanotrófio, 711 – Alto Teresópolis

Porto Alegre/RS | CEP: 90840-440

Telefone: (51) 3218.2651

Facebook

Instagram

Youtube

Twitter

FALE CONOSCO

JORNAL O SUL

Brasil| Rio Grande do Sul| Mundo| Política| Polícia| Economia| Agro| Acontece| Esporte| Grêmio| Inter| Celebridades| Saúde| Dicas de O Sul| Você viu?| Aniversariantes| Edições Anteriores| Mídia Kit e Tabela de Preços O Sul

TV PAMPA

Pampa Debates| Jornal da Pampa| Atualidades Pampa| TV Fama| João Kléber Show| A Tarde É Sua| SuperPop| Luciana By Night| Sensacional| Documento Verdade| Mariana Godoy Entrevista| Copa Sul-Americana| Você Na TV| Encrenca| RedeTV News| Operação de Risco| Campeonato Italiano| Mega Senha 2.1| A Melhor Viagem

RÁDIOS

Rádio 104| Rádio Caiçara| Rádio Continental| Rádio Grenal| Rádio Pampa| Rádio Liberdade| Rádio Eldorado| Rádio Princesa| Rádio Capão| Rádio Tramandaí| Rádio Xangri-lá| Rádio Cidreira| Rádio Imbé| Rádio Torres

REDE PAMPA

Trabalhe Conosco| Política de Privacidade| Anuncie

© 2021 – Direitos Reservados – O Sul – Rede Pampa de Comunicação | RS – Brasil.

Ative as notificações do Jornal O Sul

Você pode desativar quando quiser

Não Ative

Powered by Truepush

Autor: ANTENADA

Janaina Sá Brito nasceu no dia 03 de Abril de 1974 em Paris e aos seis meses, mudou-se com a família para Porto Alegre. É Radialista, graduada em Letras-Português e pós-graduada em gestão de conteúdo da comunicação social-jornalismo. O objetivo de seu blog é informar sobre todos os assuntos do momento, de forma dinâmica, sempre fornecendo pautas e notícias atualizadas , para quem vive na correria, mas quer sempre se informar sobre tudo que está acontecendo no Brasil e no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s